fbpx

Dicas de Reforma

COMO TROCAR PISOS E REVESTIMENTOS SEM QUEBRAR NADA

Vamos ser realistas reformar a casa é ótimo… Porém precisa muita resiliência para aguentar todos os estágios, tempo, poluição sonora e poeiras que qualquer obra causa. Vale ressaltar também que não adianta ter uma casa com ambientes maravilhosos, atraentes se o piso está defasado.

Levando em consideração este fato, vamos trazer dicas especiais para quem tem o desejo de modificar, transformar seu piso e não tem a menor paciência com quebra-quebras.

Atualmente existem muitas maneiras de trocar o piso sem precisar sair quebrando tudo. Dentre a solução mais econômica, simples e rápida destaca-se usar tapetes para esconder o revestimento velho e hoje também é possível instalar o revestimento novo sobre o antigo, sem a necessidade de removê-lo.

Dentre os materiais preferidos para mudar o piso sem fazer obras destaca-se:

Piso Vínilico:
Uma excelente alternativa muito utilizada e moderna, possuem uma aplicação ainda mais simples, pois são instalados com adesivos líquidos, cola de contato ou através de sistema de clique.
Lembre-se em ter cuidado com a preparação da base pois os acabamentos antigos devem estar limpos e secos, livres de infiltrações e bem nivelados. 
Os pisos vinílicos oferecem um acabamento muito duradouro (ideal quando existem crianças ou mascotes), resistente à umidade e ignífugo. 

Piso Laminado:
Muito parecido com a proposta anterior, porém é indicado para lugares que não tenham problemas com umidade. É preciso ter atenção porque a grande maioria não é apta para banheiros e cozinhas, sendo assim escolha bem o produto desejado.

Cimento Queimado:
Cada vez mais versártil com alta resitência ao desgaste, o cimento queimado é ideal para quem se preocupa com a manutenção, uma vez que, é de fácil e prática limpeza.

Piso PVC:
            É o piso mais econômico, impermeáveis, antideslizantes, silenciosos e com um design bonito.  Seu principal problema é que estragam com facilidade e são sensíveis a arranhões e abrasão.

Não se esqueça é muito importante você analisar quando tempo você e sua família permanecem no ambiente para definir o melhor tipo de revestimento de acordo com suas funcionalidades, por exemplo os pisos frios são considerados bons condutores de calor, pois eles podem modificar a temperatura de acordo com o clima do ambiente onde estão. Já os pisos quentes remetem a ambientes mais íntimos, normalmente são instalados em quartos e salas.

Gostou das Dicas? Então é hora de conferir se seu piso está adequado para receber o outro material e escolher o revestimento mais adequado para seus ambientes e seu estilo de vida. Já imaginou renovar os pisos sem fazer obras?

Publicado em Sem categoria

Busca por imóvel de alto padrão cresce com viagens adiadas e trabalho híbrido.

Devido a pandemia que se iniciou no ultimo ano o comercio vem enfrentando diversos desafios, entretanto o mercado imobiliário tem se reinventado e por isso está bem movimentado e aquecido.

A pandemia em algumas áreas causou muitos danos financeiros, como a restrição em alguns comércios para a redução do contato social, incluindo o turismo que está restrito, impedindo viagens e passeios, ainda que para o mercado imobiliário tem aquecido as vendas e as locações aumentando a busca por imóveis com mais conforto e comodidade.

A pandemia da corona vírus não impediu que o setor de imóveis de alto padrão registrasse um grande crescimento em relação ao ano anterior, tornando-se assim uma das melhores formas de investimento do momento, além de que esse tipo de imóvel conta com diversas características distintas.

As pessoas vêm se adaptando as novas regras do convício social, além de seus filhos estarem estudando em casa alguns pais estão trabalhando em suas residências, por isso está grande busca por imóveis mais completos e amplos com áreas de lazer mais sofisticadas.

Por conta desse isolamento social a busca por imóveis para locação aumentou, e a expectativa em busca de um ambiente maior para acomodar animais e praticar atividades físicas como Futebol, natação, musculação entre outros também cresceu.

Com a taxa Selic nos níveis mais baixos da história, aplicações tradicionais de renda fixa deixaram de ser tão atraentes como investir em ações por exemplo, e o risco da renda variável tornou-se elevado pois não garante nem um ganho fixo muito menos a devolução, a compra de imóveis para locação é sem dúvida o investimento mais seguro e lucrativo do momento.

Essa nova situação mudou o modo de consumo da sociedade, pois antes eram mais procurados e priorizados os locais que ficavam próximos aos centros urbanos, entretanto hoje a busca é por conforto e comodidade em imóveis maiores e mais afastados. Diversos países fecharam suas fronteiras e bloquearam viagens para não transmitir ainda mais o vírus e isso também dificultou os investimentos no exterior, com viagens a trabalho ou a passeio restritas as pessoas passam mais tempo em casa e isso contribuiu bastante para a procura de lugares mais amplos e ao ar livre, e também distantes do convívio social.

Uma das vantagens que beneficia quem investe nesse tipo de imóvel é a grande valorização a longo prazo e pode gerar um ótimo retorno daqui alguns anos, além de que por serem modernos e de auto padrão tendem a se manter em alta por bastante tempo, ainda mais se seguir as tendências do mercado.

Uma nova era se iniciou e muitos estão se aprimorando para andar lado a lado com o desenvolvimento, por isso buscam por um lar que tenha mais a sua cara e funcione não somente como sua casa, mas também como seu ambiente de trabalho.

As pessoas estão passando quase 24 horas por dia em suas residências, e essa perspectiva só aumenta, cada vez mais profissionais preferem morar em imóveis com uma configuração variada, além da necessidade de um escritório, a pandemia despertou interesse em tornar confortável toda e qualquer área no lar.

Levando a ser mais do que essencial, e sim obrigatório estar em um ambiente agradável e que se sintam bem, pois quem antes pouco ficava em casa, descobriu que pode usar o espaço doméstico como um loca de trabalho e de lazer ao mesmo tempo.

Visto que imóveis de auto padrão contam com matérias inovadores usados exclusivamente, com assinatura de arquitetos e designers, trazendo uma identidade única a cada projeto, e aliado ao ótimo momento do segmento, sem objeção é a melhor opção de investimento em tempos de pandemia.

Para aqueles que tem filhos ou que gostam de passar mais tempo aproveitando o sol e a natureza temos uma ampla opção de imóveis para locação com espaços ao ar livre, como, churrasqueira, jardim, piscina, gramado, varanda, entre outras áreas de lazer, muito interessantes inclusive para os que tem animais de estimação.

Entretanto alguns alunos ainda não voltaram as aulas presencias e por isso tem aulas online, precisam tanto quanto seus pais de um local apropriado para fazer suas tarefas.

Com o aumento do tempo dentro de casa as pessoas buscam uma boa qualidade de vida e passar mais tempo com sua família e seus amigos mais próximos, tendo um ambiente agradável e cômodo para todos.

Dessa forma nos da imobiliária Jaeger buscamos o melhor ambiente para nossos clientes, nosso diferencial é o compromisso com as suas exigências, garantindo sua satisfação em todos os requisitos pois consideramos cada detalhe muito importante para cada um eles.

Publicado em Locação, Vendas

Ampliação do crédito imobiliário como consequência da queda da SELIC

Se você prestar atenção em algo que trate de economia, é bem possível que ouça uma menção sobre a Taxa Selic

Esta “onipresença” da Selic não ocorre por acaso, ela corresponde à taxa básica de juros do Brasil e serve como referência para todos os juros praticados no país.

Ela representa a principal ferramenta da política monetária do governo e tem impacto direto ou indireto sobre toda a economia brasileira.

Pensando nisso, preparamos esse texto sobre o indicador econômico mais importante do Brasil, e sobre como a sua queda influencia a compra de imóveis.

A taxa Selic representa a taxa básica de juros do Brasil. Cada país tem seus próprios juros básicos, geralmente definidos pela autoridade monetária nacional, como os bancos centrais.

É o Copom, o Comitê de Política Monetária do Banco Central que determinada o valor dessa taxa. Ele se reúne a cada 45 dias para definir se a Taxa Selic aumenta, diminui ou se mantém estável.

A Selic norteia todas as operações da economia brasileira que envolvem juros, como empréstimos, aplicações financeiras e financiamentos.

Em outras palavras, quando a taxa Selic sobe, os demais juros praticados no país também tendem a crescer. Pela mesma lógica, os juros costumam cair quando há um corte na Selic.

Embora pareça simples, esse processo não ocorre de forma mágica ou arbitrária. O cálculo da Selic envolve a atuação direta e constante do Banco Central no mercado interbancário de títulos públicos.

A taxa Selic funciona influenciando o mercado de crédito para controlar o consumo: o governo reduz os juros básicos quando os preços estão caindo muito, e eleva os juros quando a inflação ameaça ultrapassar a meta.

Em outras palavras, podemos dizer que a Selic tem o efeito de aquecer a atividade econômica, ao ampliar a oferta de crédito, ou desaquecer a economia, ao limitar a quantidade de moeda em circulação.

Seu objetivo sempre foi ser uma ferramenta de controle da inflação: qualquer mudança que o Banco Central do Brasil fizer na taxa resultará em uma alta ou queda da inflação. 

Ao aumentar a Selic, tem como objetivo desacelerar a economia, impedindo a inflação de ficar muito alta. E, ao baixar a Selic, tem como objetivo estimular o consumo e aquecer a economiaaumentando a inflação quando ela está abaixo da meta.

Até hoje, a Selic serve como uma referênciapara a economia brasileira, uma ferramenta para controlar a inflação do país que pode ser entendida como um indicador da nossa situação econômica.

Mexer nesta taxa é uma das ferramentas que o Banco Central usa para controlar a inflação e aproximá-la da meta anual. E, na prática, o que significa a queda da Selic?

A mudança na Selic afeta três grandes pilares principais na sua vida financeira: a inflação, o rendimento de investimentos e as taxas de empréstimos. Porém, cada um desses pilares é afetado de maneira diferente. 

Em caso de imóveis, se a taxa diminui: o crédito fica mais acessível, já que os bancos tendem a baixar as taxas de juros;

Financiamento de imóveis e Selic andam lado a lado durante as negociações de um novo imóvel, em caso de financiamento. Para facilitar seu entendimento, considere a seguinte situação: uma pessoa está economizando mensalmente uma quantia em dinheiro para poder dar entrada em um financiamento imobiliário. Durante esse processo, o Copom decide aumentar os índices da Taxa Selic, elevando os juros do financiamento. Dessa forma, o planejamento inicial se torna antiquado e deve ser refeito pelo potencial investidor. Em outras palavras: quanto maior for a Taxa Selic, maior será o custo do financiamento. 

Por isso, quando a taxa está elevada, o mercado imobiliário em caso do financiamento desacelera, já a compra e venda de forma a vista, é ainda maior. Atualmente, considerando a baixa recente, conclui-se que é um ótimo momento para investir no seu financiamento imobiliário. 

Primeiro porque as taxas de juros do crédito imobiliário continuam na mínima histórica. Segundo porque o mercado imobiliário, que vinha estagnado há quase quatro anos está em rota de aquecimento, e isso tende a elevar o preço dos imóveis.

O crédito imobiliário é uma modalidade de longo prazo, em que os contratos demoram até 35 anos para terminar. Por issoas instituições avaliam não só a taxa de juros do momento da concessão, mas como esses juros devem se comportar mais para frente.

Para quem já vinha se preparando para comprar um imóvel, seja para morar ou investir, e possui reserva financeira para manter os planos, as condições de financiamento hoje são vantajosas e há oportunidades a serem avaliadas, incluindo as novidades nas diferentes linhas (taxas corrigidas pela TR, pelo IPCA e ainda prefixadas). Além da queda da Selic, o Brasil apresenta hoje um cenário de baixa rentabilidade da poupança e da renda fixa, alta volatilidade no mercado de ações e subida dos preços dos imóveis, o que compensa e muito o seu investimento em imóveis.

Publicado em Vendas

Imóveis mais espaçosos e afastados dos grandes centros

Está indeciso entre morar no centro ou em bairros? Neste artigo explicaremos as vantagens de morar em imóveis mais espaçosos e longes dos grandes centros.

A lógica do mercado imobiliário é: quanto mais perto do centro urbano, mais valorizado e menos espaçoso. Sendo assim, o metro quadrado de imóveis no centro tende a ser mais caro. Em regra, as moradias localizadas longe dos centros têm propostas mais acessíveis, o que torna possível a compra de imóveis mais amplos.

Os imóveis amplos aumentam a qualidade de vida, uma vez que, quanto mais área verde e espaços de lazer a sua casa tiver, maior será a sua tranquilidade, sem falar que os bairros possuem estabelecimentos comerciais próximos, como padarias e mercados, fazendo com que você aproveite para sair até mesmo a pé e possa curtir o seu bairro.

Geralmente as pessoas que moram longe dos centros têm o mesmo objetivo: privacidade, fugir do barulho, da confusão, da falta de segurança – em busca de mais conforto e paz de espírito.

Morar longe dos grandes centros urbanos é sinônimo de calmaria, sossego e paz, pois além de estar longe da correria da cidade, você estará ainda mais próximo da natureza, e perto também de vizinhos tranquilos, pois quanto menos estresse mais paz e tranquilidade haverá!

 Assim, morando em bairros você convive mais com seus vizinhos e acaba sendo formado um grupo coeso que pode influenciar em diversos aspectos, como a definição de leis urbanísticas, presença do comércio, segurança pública etc. Você pode ter mais controle sobre as decisões que envolvem a sua região. A maior interação social favorece a construção de uma comunidade mais saudável.

Portanto, comprar uma casa em um lugar afastado e mais seguro pode oferecer grandes benefícios para a sua família. O imóvel certo para você está a um contanto conosco. Possui alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo que responderemos.

Se você gostou desse post, curta e compartilhe na sua rede. Inscreva-se no nosso canal do YouTube, nos siga nas redes sociais e visite nosso site para conhecer nossas oportunidades!

Publicado em Locação, Vendas

Será o fim do fiador na locação comercial?

O contrato de locação tem como finalidade regular a relação de locação, através de suas cláusulas os interesses particulares do locador e locatários são manifestados, mas também deve estar presente a modalidade de garantia locatícia.

Quando se concerne os tipos de garantias locatícias, a mais conhecida de todas é a fiança, onde um fiador se compromete a realizar o pagamento em caso de inadimplência por parte do locatário, algumas vezes o comprometimento é assegurado comprometendo o único bem da família.

Este procedimento está regulamentado pela Lei nº 8.009/1990 – Lei a Impenhorabilidade do Bem de Família, e nele consta que é oponível a impenhorabilidade do bem quando obrigação decorrente de fiança concedida em contrato de locação. Contudo, esse fato contraria os princípios básicos da Constituição Federal, quanto a garantia de moradia.

Está em processo de julgamento no Supremo Tribunal Federal um caso que pode mexer nas garantias locatícias de imóveis comerciais. A análise deste recurso extraordinário definirá se é permitida a penhora do único imóvel do fiador numa locação comercial, uma prática bastante recorrente no país.

De um lado, os ministros Dias Toffoli e Luís Roberto Barroso, afirmam que a figura do fiador é de fundamental importância para estimular o empreendedorismo e abertura de novos negócios, e do outro os ministros Marco Aurélio Mello, Rosa Weber e Luiz Fux, que defendem que a moradia é um direito fundamental e desta forma não deveria ser realizada a penhora do imóvel para a concretização da locação comercial, sendo a moradia um direito social garantido pela Constituição.

Para entender a importância da utilização dos fiadores é fundamental contabilizar as modalidades de garantia mais utilizadas, uma pesquisa do Secovi-SP, utilizando os dados da cidade de São Paulo, no mês de fevereiro deste ano, cerca de 45,50% tiveram como método de garantia um fiador, o segundo método mais utilizado foi caução, em cerca de 39% dos contratos e por último, em cerca de 15,50% dos contratos foi utilizado o seguro-fiança, sendo coberto por uma seguradora mediante análise de crédito.

O principal motivo para a maior utilização deste método de garantia, é que o mesmo não acrescenta nenhum valor no montante a ser pago de aluguel, e tendo em vista que uma sondagem em nível nacional, em cerca de 20 mil contratos, mostrou que em 70% a 80% dos contratos não residenciais de valor pequeno, cerca de R$ 3370,00 (três mil trezentos e setenta reais), o próprio empreendedor é o garantidor do seu negócio.  

Caso seja aprovado essa nova resolução, serão sentidos os impactos, principalmente devido a atual situação brasileira quanto ao desemprego, deixando os dois lados prejudicados, tanto os locadores que possuem em seus contratos vigentes essa forma de segurança, quando aos locatários que não mais poderão utilizá-la.

Um dos fatores de grande peso para que não seja proibido a alienação do único bem da família para a realização de uma locação comercial é a de que em 2010 o pleno do STF definiu o tema 295: “É constitucional a penhora de bem de família pertencente a fiador de contrato de locação, em virtude da compatibilidade da exceção prevista no art. 3°, VII, da lei 8.009/90 com o direito à moradia consagrado no art. 6° da CF, com redação da EC 26/20″.

A segunda forma mais utilizada, no cenário anteriormente apresentado, é a caução, possui como fator negativo a lentidão judicial na devolução do imóvel ou reparação dos danos, existe a possibilidade legal de obter um limiar quando a garantia prestada se exaure ou quando o valor da dívida supera o valor da caução.

A forma que veio crescendo bastante durante a pandemia de coronavírus é o seguro-fiança, e vem sendo utilizado como garantia prioritária em 36% das imobiliárias das cinco regiões dos Brasil, isso ocorre pois está possui a melhor aceitação dos locadores, cobrindo o valor do aluguel, IPTU, condomínio e custas advocatícias em caso de inadimplência. Apesar de existirem outras formas de locação, a única que não possui um valor adicional, sendo cobrado apenas o valor da locação é o fiador, e esta se caracteriza como a mais conveniente para locatários que buscam investir a maior parte do seu orçamento diretamente no seu empreendimento, tendo isso em vista, a decisão do STF terá grande importância e impacto nas locações comerciais em todo o território nacional.

Publicado em Locação

Dicas de Decoração

Papéis de Parede

Quem não quer remodelar um ambiente, tornar a decoração dos seus interiores moderna, agradável, cheia de estilo e com personalidade?

O papel de parede é um item decorativo capaz de transformar a decoração do seu espaço de maneira prática, fácil e rápida sem necessidade de reforma. Ele é uma opção muito utilizada na decoração para renovar uma parede, esconder um acabamento indevido, personalizar um pequeno espaço.

O mercado atualmente disponibiliza uma infinidade de papéis de parede com opções, cores, texturas e composições variadas, o que normalmente faz com que tenhamos cautela para utilizá-los da maneira adequada nos mais variados espaços do lar, desde o lavabo até a sala de jantar.

Na hora de escolher o papel de parede ideal é necessário prezar pela harmonia, além de conhecer o ambiente no qual ele será inserido e se a parede terá mais decorações além do papel de parede.

Cada cômodo pede uma proposta diferente e você pode utilizar sua imaginação para criar ambientes incríveis, cheios de estilo, elegância ou inovação. Confira as dicas para se inspirar e acertar na escolha do papel de parede:

– Ambientes Sociais:  como salas de estar e jantar, e espaços amplos recebem bem um papel de parede mais estampado, com cores alegres e vibrantes, caso você tenha um estilo ousado. Agora se você tem o estilo mais discreto aposte em cores e estampas suaves apenas para dar o charme necessário ao ambiente. É interessante atentar para o tempo que você e sua família permanecem no local e qual a sua utilidade. Uma estratégia bastante legal é mesclar o papel de parede com o tapete ou mesmo investir em um quadro que destaque o papel de parede.

– Cozinhas: uma proposta para decorar a cozinha é aproveitar os espaços entre a bancada e o armário ou somente pedaços da parede, deixa o ambiente moderno e agradável. Lembre-se é importante analisar a utilidade do cômodo e quanto tempo você passa nele, para quem adora cozinhar pode apostar em papéis de parede temáticos ou a lousa que permite ilustrações e são ótimas para personalização do ambiente.

– Quartos: em dormitórios a dica é apostar na aplicação do papel de parede atrás da cama, como o ambiente é de descanso e aconchego o ideal é escolher um papel de parede sereno, que transmita tranquilidade e paz. Nos quartos infantis você pode soltar a imaginação e criar um ambiente mágico.

– Banheiros e Lavabos: a dica é investir em papéis de parede coloridos e ricos em detalhes para causar um efeito moderno, clássico ou sofisticado.

– Lavanderia: é um espaço que merece uma atenção especial para deixar o ambiente com charme e personalizado.

Não se esqueça, escolha o papel de parede que mais combina com a sua personalidade e você se encantará com o resultado!

DICA: Para manter o papel de parede sempre com aspecto de novo, utilize uma esponja umedecida com água e sabão de coco.

Publicado em Locação, Vendas

Cisterna em Condomínio

A água é um dos recursos mais preciosos que temos e sua escassez é uma realidade. Evitar o seu desperdício e incentivar seu reaproveitamento é uma atitude que não pode mais ser adiada.  Seja pela consciência ambiental ou pela comprovada economia que proporciona, muitos condomínios passaram a adquirir cisternas. Geralmente, o retorno do investimento varia a curto e médio prazo, o que consiste em um estímulo a mais para síndicos e condôminos.

Segundo a Norma Brasileira para Aproveitamento de Águas Pluviais, a NBR 15527, as cisternas são dispositivos do sistema de aproveitamento de água da chuva, este que vai muito além de um simples reservatório. Se engana quem pensa que aproveitar água da chuva é sobre direcionar a água diretamente para uma caixa d’água.

Além da valorização do imóvel, a Cisterna precisa servir aos períodos de estiagem. Para isso, deve ser feito um estudo com base nas chuvas em sua região, contrastado com a área de telhado disponível para coleta, isso porque, no Brasil somente a água da chuva proveniente do telhado pode ser captada.

Como Definir o Tamanho De Uma Cisterna Para Água De Chuva? | Efizi

Uma vez que a Cisterna é bem dimensionada, você garantirá economia na conta de água, o que ocasionará uma diminuição em sua faixa de consumo e consequentemente uma redução no custo final da conta, cerca de até 25%.

Outros itens são importantes para garantir a segurança operacional do sistema e a qualidade final da água. Além de uma Cisterna, a Norma Brasileira para Aproveitamento de Água da Chuva prevê o uso de um dispositivo de filtragem adequado (filtro para água da chuva), um sistema de freio d’água (que impede o turbilhonamento de pequenas partículas no interior da Cisterna) e uma bóia coletora, para que a água coletada seja sempre a da superfície (água mais limpa).

Isso tudo garante uma qualidade superior da água armazenada. Mas é importante ressaltar que jamais deve-se consumir a água da chuva, aliás, a norma é bem clara ao indicar esta água apenas para usos não potáveis. Pode ser utilizada para:

  • Lavagem de Pisos e Pátios;
  • Lavagem de Veículos;
  • Limpeza interna e externa;
  • Hidrantes e Sistemas Anti Incêndio;
  • Descargas de Vasos Sanitários;
  • Rega de Plantas e Jardins;
Captação de água da chuva: solução para economia e redução de enchentes –  AUTOSSUSTENTÁVEL

As cisternas possuem diferentes capacidades de acordo com as suas necessidades. Há modelos de minicisterna e cisternas em vários tamanhos, de 80 litros, mil litros, 16 mil litros, entre outros. Os projetos de cisternas de plástico contam com grande capacidade de armazenamento e podem ser facilmente colocados em terraços, corredores, garagens e áreas externas.

Limpeza de caixa d'água e cisternas | Klin Controle de Pragas

Administração de Condomínios da Imobiliária Jaeger busca sempre o melhor para o seu prédio, assim recomendamos o uso das cisternas, pois valoriza o seu imóvel, o meio ambiente agradece e seu bolso também!

Publicado em Condomínio

Gás em Condomínio

O uso de Gás em Condomínio está presente em vários locais, como em fogões e aquecedores, o gás pode ser empregado ainda em sistemas de ar condicionado, lareiras, churrasqueiras, secadoras de roupas e até em certos tipos de geladeiras. Em lugares mais frios, há ainda a utilização no sistema de calefação.

OS RISCOS DOS APARELHOS AQUECEDORES A GÁS DENTRO DOS BANHEIROS – Blog do  Chico Pereira

Para que tudo ocorra dentro dos conformes as instalações de gás são seguras desde que elas tenham sido construídas de acordo com as normas vigentes e por profissionais habilitados. As redes de gás para condomínios devem ser executadas seguindo a ABNT NBR 15526:2012 e a ABNT NBR 13523:2017, no caso das centrais de GLP, além da Instrução Técnica do Corpo de Bombeiros.

Novos prédios com destinação recreativa, hoteleira, comercial, ou a qualquer outra que estimule ou provoque a concentração de público, bem como às novas edificações situadas dentro do perímetro urbano, só poderá ser feito colocando-se o botijão ou cilindro no pavimento térreo e do lado de fora da edificação, em uma central própria para este fim, construída conforme as Normas Técnicas vigentes.

Foto: Central para Botijões P-45 Kg de Tecmont Instalações De Gás #1299935  - Habitissimo

É de responsabilidade das distribuidoras a central de gás liquefeito de petróleo (GLP), até o primeiro regulador de estágio. Sobre a rede de gás, por conta da garantia, a responsabilidade é da construtora durante os primeiros cinco anos, que deve emitir laudo técnico e Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) de projeto e execução da instalação de gás. Após esse período, depende do que está estabelecido no estatuto do condomínio. Dos medidores até os pontos de consumo dentro das unidades a responsabilidade é dos condôminos, pois esse trecho atende exclusivamente cada unidade.

Troca do Quadro de Medidores de Gás | Bigtek Serviços

A rede de gás deve ser submetida à teste de estanqueidade antes da entrega do empreendimento e após deve ser feito sempre que houver manutenção na qual a rede precise ser despressurizada e tenha algum componente substituído, o prazo de manutenção depende do tipo de reservatório instalado, não podendo ser maior do que cinco anos.

O conjunto de regulagem e medição, que compreende as reguladoras e os medidores, tem a seguinte validade:

– Reguladoras: cinco anos, conforme norma da ABNT 8473:2001

– Medidores: é recomendado pelos fabricantes a troca a cada 10 anos.

– Tubulação de gás: depende da durabilidade do material utilizado e demonstram validade aproximada: galvanizado: aproximadamente entre 20 a 26 anos, podendo ser superior a esse tempo, se houver o devido cuidado e o cobre: aproximadamente 50 anos ou mais, se houver o devido cuidado.

Gás de Condomínio - VEDRANO SUSTENTAVEL

É bom reforçar que a utilização de botijões P-13 em áreas internas é proibida, especialmente em condomínios, independentemente de existir o gás encanado (GN). Se o condomínio tiver uma rede de gás, pode optar por GLP em uma central de gás que abastecerá o condomínio todo. O armazenamento de 13 kg de GLP dentro de um recinto fechado pode tornar-se muito perigoso. Além de ser um estoque aproximado de dois a três meses de gás para uma família que utiliza o gás só para cocção, por exemplo. Dentro do botijão, o gás está na fase líquida e, ao mudar para a fase gasosa, expande cerca de 240 vezes, o que significa que um vazamento que possa ocorrer na fase líquida é 240 vezes pior do que na fase gasosa. Se ocorrer vazamento dentro de um apartamento, não há uma área toda aberta para deixar o botijão.

Embora não exista nenhuma lei federal ou artigo que trate exclusivamente da responsabilidade do síndico sob as instalações de gás, é importante que ele fique atento às manutenções. Qualquer problema causado por falta de manutenção ou instalação inadequada poderá resultar em alguma acusação judicial contra o síndico, já que ele é responsável pela conservação e guarda de áreas comuns.

Art. 1.348. Compete ao síndico: (…) II – representar, ativa e passivamente, o condomínio, praticando, em juízo ou fora dele, os atos necessários à defesa dos interesses comuns; (…) V – diligenciar a conservação e a guarda das partes comuns e zelar pela prestação dos serviços que interessem aos possuidores; (…)

Síndico Profissional: o que é, como trabalha, qual sua função e como se  tornar um

Assim, Administração de Condomínios da Imobiliária Jaeger preza pela melhor qualidade de serviço prestado, executando checklist nos condomínios a cada 10 dias para manter a maior segurança do seu lar. Aqui segue algumas dicas referente ao gás:

  • Jamais obstrua o acesso ao registro ou válvula de segurança do seu equipamento;
  • Mantenha o aquecedor de gás sempre limpo, regulado e em local ventilado;
  • Utilize um pano de algodão com detergente neutro para limpar a mangueira flexível que liga o gás natural ao fogão;
  • Mantenha produtos e objetos inflamáveis longe dos aquecedores a gás;
  • Jamais deixe que crianças mexam em aparelhos a gás;
  • Ao se ausentar por um período prolongado, feche o registro de segurança;
  • Não utilize o aquecedor de água ou sua chaminé para secar roupas ou armazenar produtos de qualquer espécie;
  • Solicite a um profissional experiente que posicione o registro de segurança em local acessível para deficientes físicos;
  • Providencie a instalação de um detector de vazamento de gás nas proximidades do aparelho em caso de morador com deficiência olfativa;
  • Verifique se a mangueira, que liga o botijão de gás ao fogão, está etiquetada e em conformidade com as normas ABNT;
  • Deixe sempre o botijão em um lugar ventilado. Caso aconteça um vazamento o gás não irá acumular;
  • Manuseie a troca do botijão somente com as mãos e jamais utilize ferramentas para não danificar o mesmo;
  • Procure sempre um profissional qualificado e exija o cumprimento das normas brasileiras vigentes de instalação de equipamentos a gás.
Publicado em Condomínio

LOCAÇÃO SEM FIADORES:

SAIBA COMO FUNCIONA O SEGURO FIANÇA!

Você está à procura de um imóvel para locação e não possui fiadores? Sabe como deve agir nesse contexto? Agora você pode alugar utilizando a modalidade Seguro Fiança!

O serviço imobiliário engloba inúmeras funções que muitas vezes são desconhecidas pela maioria das pessoas, devido a utilização de termos técnicos e jurídicos, algumas vezes o cliente acaba por ter dificuldade em entender como funciona o processo de locação. Sendo assim, nossa função é auxiliar você que sonha em locar o imóvel ideal de maneira fácil e rápida.

Em primeiro momento, é fundamental salientar que a imobiliária é um intermediador entre inquilino e proprietário, dessa maneira, nosso dever está em auxiliar e proteger ambas as partes, garantindo que seus direitos e deveres serão cumpridos, razão pela qual, nos responsabilizamos com a elaboração do contrato, tanto de locação, quanto de administração do imóvel.

Portanto, o que é a garantia locatícia?

As garantias no contrato de locação imobiliário têm como objetivo assegurar o cumprimento das obrigações assumidas pelo inquilino no decorrer do tempo de locação, por isso são de extrema importância. Uma vez efetivada a negociação com o cliente, a imobiliária compromete-se com o proprietário, a partir de um contrato, a solicitar as garantias necessárias para que a locação seja concretizada.

A forma mais comum de garantia locatícia ocorre por fiadores, porém muitas pessoas encontram dificuldades com essa maneira, pois ela acaba sendo bastante burocrática, além de envolver terceiros, o que gera um certo desconforto para o cliente.

Então, quais são as modalidades locatícias aceitas pela Jaeger?

Conforme falado anteriormente, entendemos as dificuldades de efetivar uma locação a partir de fiadores. Pensando nisso, a Imobiliária Jaeger foi em busca de diferentes modalidades que possam ser flexíveis e ágeis para o inquilino, sem deixar de oferecer a devida segurança ao proprietário.

Sendo assim, além da garantia por fiança (fiadores), trabalhamos com a modalidade de Seguro Fiança, Cartão de crédito e Título de Capitalização.

Logo, o que é o Seguro Fiança?

Nesta modalidade de garantia, a seguradora age como um fiador, onde compromete-se a seguir com as obrigações do locatário, na falta do cumprimento das cláusulas contratuais. Dessa maneira, o inquilino faz a contratação da seguradora mediante pagamento do valor de cotação referente a apólice do seguro, a qual oferecerá cobertura à locação.  

Atualmente, a Imobiliária Jaeger trabalha em parceria com empresas que atendem o Brasil todo. Com um sistema inteligente de gestão de produtos de seguro que trabalha integrado à imobiliária. Atuando há mais de 30 anos com as melhores seguradoras do país, oferecem os melhores benefícios e atendimento personalizado, desburocratizando todo o processo. Uma vez que utilizam uma plataforma online desempenhando-se como corretora de seguros, desenvolvida para facilitar todo o processo de gestão de garantias e seguros imobiliários.

Qual o procedimento do Seguro Fiança?

Após a escolha do imóvel ideal para você, a imobiliária irá preencher um cadastro com os seus dados e enviar para a corretora, que fará uma análise cadastral e financeira das informações, gerando assim uma cotação do valor a ser pago pelo seguro. Após a aprovação, o cliente e a imobiliária serão notificados para que o contrato e vistoria sejam redigidos. Mediante assinatura dos documentos, que já estamos fazendo também digitalmente caso o cliente queira, as chaves poderão ser entregues ao inquilino.

Qual o valor a ser pago pela contratação do Seguro Fiança?

A cotação do seguro fiança normalmente corresponde a 20% do valor do aluguel, sendo esse, pago mensalmente junto com o boleto da locação enviado pela imobiliária. Por exemplo, se o valor do aluguel do imóvel for R$1.000,00 a cotação será de R$200,00 sendo assim, será cobrado no boleto R$1.200,00 mais as demais taxas contratadas (IPTU, seguro incêndio, condomínio). Salientamos que o valor da cotação está sujeito a análise da seguradora, podendo variar o percentual informado, uma vez que essa taxa não é fixa e sim definido pela seguradora a partir das informações do imóvel, podendo ser maior do que 20%.

Qual a vigência do Seguro Fiança?

O pagamento do seguro fornecerá mensalmente uma apólice que possui vigência de 12 meses, sendo renovada automaticamente, somente será rescindido o seguro fiança com a entrega do imóvel e encerramento do contrato, uma vez que a seguradora cobre qualquer tipo de inadimplência que possa ocorrer até o distrato da locação. 

Viu como é fácil fazer uma locação sem fiadores com agilidade e segurança? O Seguro Fiança oferece um serviço sem burocracia, com pagamento facilitado e renovação simplificada.

A Imobiliária Jaeger entende o quanto é importante para você, cliente e amigo, alugar o imóvel ideal sem preocupações e da maneira mais rápida possível.

Um imóvel, nunca é só um imóvel locado, ele é um sonho realizado, o lar de uma família! E a nossa função é zelar pela melhor experiência do nosso cliente, o auxiliando em todo o processo, na pré e pós locação.

Quer saber mais sobre as possíveis modalidades de locação? Fique ligado em nossas publicações! Estamos sempre à disposição para lhe auxiliar!

Possui alguma dúvida? Gostaria que falássemos sobre um assunto em específico? Gostaria que algum colaborador da Jaeger gravasse um vídeo explicando algo? Deixe seu comentário abaixo ou nos mande um e-mail com sua dúvida e quem você quer que responda, e nós faremos um vídeo.

Se você gostou desse post, curta e compartilhe na sua rede. Inscreva-se no nosso canal do Youtube, nos siga nas redes sociais e visite nosso site para conhecer nossas oportunidades!

http://www.imobiliariajaeger.com.br/
https://www.youtube.com/channel/UCrqTexZEq069a_w7Hs-hCjQ
https://www.facebook.com/imobiliariaJaegerltda
https://www.instagram.com/imobiliariajaeger/
Publicado em Locação

Atribuições legais do Síndico

As atribuições legais de responsabilidade do Síndico constam no artigo 1.348 do Código Civil, tais como:

Convocar a assembleia dos condôminos; representar o Condomínio; cumprir e fazer cumprir a convenção, o regimento interno e as deliberações das assembleias; prestar contas à assembleia; elaborar o orçamento do condomínio; cobrar dos condôminos as suas contribuições, bem como impor e cobrar as multas devidas, realizar o seguro da edificação.

A assembleia de condomínio é uma reunião de condôminos que discute diversos assuntos da vida condominial. É destinada à aprovação da convenção de condomínio, eleição de síndico, futuras obras, vagas de garagem, etc. Ou seja, possuem diversos objetivos que devem ser discutidos e deliberados pelos proprietários das unidades. Existem dois tipos de assembleia de condomínio:

Assembleia ordinária

Está descrita no artigo 1.350 do Código Civil, que estabelece que deverá ocorrer uma vez por ano, obrigatoriamente. É também esta lei que determina os assuntos que serão discutidos na assembleia ordinária:

  • Aprovação das contas relativas ao ano que se passou;
  • Aprovação do orçamento de despesas para o ano seguinte;
  • Contribuição condominial;
  • Eleição ou substituição de síndico, subsíndico, conselho fiscal e conselho consultivo (presente em condomínios maiores);
  • Alteração de regimento interno.

Assembleia extraordinária

É convocada para determinado fim. A partir de uma situação que não é corriqueira, o síndico precisa discutir e deliberar com os condôminos as melhores soluções para ela. Um dos principais assuntos abordados é as obras:

  • Necessárias – como por exemplo, a impermeabilização ou reforma do telhado, a reconstrução de um muro que tenha sido derrubado em decorrência de fatos extraordinários, como uma forte chuva, entre outros.
  • Úteis – a individualização da água, do gás, a cobertura das vagas de garagem, criação de espaço individual para correspondências, entre outros
  • Voluptuárias – por exemplo, o condomínio realiza uma obra de paisagismo, uma obra de jardinagem, de decoração do hall social ou até mesmo quando adquire obras de arte para compor o patrimônio artístico do condomínio.

Ao representar um condomínio é dever do sindico cumprir e fazer cumpri a convenção condominial que é o documento que reúne as principais regras de convivência e da administração do condomínio. É ela que determina como o condomínio deverá ser gerenciado, organizando a vida no local e o trabalho do síndico. O valor das contribuições que os moradores devem pagar para despesas de manutenção e infraestrutura, definições sobre convocações de assembleia, o quórum mínimo para deliberação e as sanções que devem recair sobre os condôminos “infratores”.

Na prestação de contas deve apresentar os seguintes documentos: Certidões negativas do INSS, FGTS e Receita Federal, do condomínio, da administradora, das empresas terceirizadas, atestado de dedetização, lavagem das caixas d’agua e da última análise da potabilidade de água. Principalmente o demonstrativo de despesas e receitas (que deve ser de fácil compreensão e contar um resumo do número de contas do balanço). Pode dividido em três contas: Pessoal – que inclui salários, férias, cesta básica e outros; Fixas – água, luz, telefone, taxas, contratos de manutenção de elevadores, etc.; e Variáveis – limpeza da caixa d’água, recarga de extintores, entre outros. Aborde a inadimplência de forma a mostrar quanto está custando ao condomínio, sem entrar em detalhes sobre situações particulares.

O Seguro condominial é algo de responsabilidade do sindico. Como acidentes e imprevistos acontecem quando menos esperamos e é exatamente por isso que o condomínio precisa contar com uma boa garantia contra todos os tipos de danos e contratempos. De acordo com o Código Civil, Art. 1.346. “É obrigatório o seguro de toda a edificação contra o risco de incêndio ou destruição, total ou parcial.”

Este artigo complementa o que dispõe a Lei dos Condomínios sobre o assunto:

“Art. 13° Proceder-se-á ao seguro da edificação ou do conjunto de edificações, neste caso, discriminadamente, abrangendo todas as unidades autônomas e partes comuns, contra incêndio ou outro sinistro que cause destruição no todo ou em parte, computando-se o prêmio nas despesas ordinárias do condomínio.

Parágrafo único. O seguro de que trata este artigo será obrigatoriamente feito dentro de 120 dias, contados da data da concessão do “habite-se”, sob pena de ficar o condomínio sujeito à multa mensal equivalente a 1/12 (um doze avos) do imposto predial, cobrável executivamente pela municipalidade.

Art. 16° Em caso de sinistro que destrua menos de dois terços da edificação, o síndico promoverá o recebimento do seguro e a reconstrução ou os reparos nas partes danificadas.”

A cobertura deve ser adequada às necessidades do condomínio, portanto o indicado é que sejam contratadas apólices que garantam proteção contra todas as situações que o empreendimento está sujeito, todas as possíveis intempéries que podem ocorrer, como: Queda de raios no terreno do condomínio, Roubos, furtos e assaltos, Explosões, Danos elétricos, Quebra de vidros, Ações de vendavais, Impacto de veículos, Queda de aeronaves, entre outros.

Diante destas responsabilidades uma administradora de condomínios como a da Imobiliária Jaeger auxilia o síndico em suas funções e no cumprimento de todas as exigências legais, atuando como seu braço direito com a nossa ampla rede de relacionamento garantindo o melhor benefício a sua residência

Publicado em Condomínio